Municípios RICD apoiam Moçambique

|
EM REDE COM MOÇAMBIQUE. 

Divulgamos as informações enviadas pelo Municípios sobre as ações que se encontram a desenvolver para ajudar Moçambique após o ciclone Idaí. 

CASCAIS



Decisão tomada hoje (26/03) em reunião de Câmara presidida por Carlos Carreiras.

A Câmara Municipal de Cascais vai apoiar Moçambique com 150 mil euros. Um apoio de emergência às vítimas do ciclone Idaí que chegará rapidamente ao terreno por intermédio de quatro organizações.
A Assistência Médica Internacional – AMI, UNICEF, a ONG HELPO e a Fundação Fernando Leite Couto são quatro organizações com vasta experiência no terreno e vão dividir este apoio em partes iguais, acudindo rapidamente aos feridos e desalojados.

Para além dos laços históricos e culturais que unem Portugal e Moçambique, Cascais tem uma relação afetiva muito forte com a cidade irmã de Xai-Xai. “É um imperativo moral e sentimental acudir o povo irmão de Moçambique.

É nas situações de dificuldade que se testa a solidez da família. E o que podemos garantir aos moçambicanos é que, no que depender de Cascais e dos cascalenses, a família das cidades da lusofonia está e estará sempre ao lado dos cidadãos moçambicanos”, sublinha Carlos Carreiras, presidente da autarquia.

Este é apenas um primeiro passo numa campanha de angariação de fundos maior e mais vasta organizada pelo município português. “Muito em breve, todos os cascalenses que quiserem ajudar terão indicações muito claras sobre como, quando e onde o fazer”, concluiu Carlos Carreiras, apelando a uma grande mobilização dos cidadãos.

“A tragédia em Moçambique é grande, mas o nosso coração e a nossa alma são ainda maiores. Depois de termos acudido aos nossos concidadãos nos fogos de junho e outubro de 2017, peço aos cascalenses que voltem a dar uma manifestação inequívoca de solidariedade e esperança.”

CAMPANHA MOÇAMBIQUE | COMO DOAR:

A entregue de bens para Moçambique pode ser feita nos quartéis de Bombeiros do concelho e nas Juntas de Freguesia.

Só serão aceites os artigos indicados na divulgação.

Podem também ser entregues outros artigos na sede da HELPO: Rua Catarina Eufémia, n.º 167-A, Fontainhas, Cascais.

Informação para donativos:

HELPO
Donativos: IBAN PT50 0010 0000 3483 3480 0061 9 | Swift: BBPIPTPL
Mais informações: https://www.helpo.pt/

ASSISTÊNCIA MÉDICA INTERNACIONAL – AMI
Donativos: IBAN PT50 0007 0015 0040 0000 00672 | Swift: BESCPTPL
Mutilbanco
Entidade: 20909
Referência: 909 909 909
Mais informações: https://ami.org.pt/

UNICEF
Donativos: IBAN PT 50 0035 0097 0000 1413 7306 7
Mais informações: https://www.unicef.pt/

FUNDAÇÃO FERNANDO LEITE COUTO
Donativos: IBAN MZ59 004300000001797880369 | Swift: UNICMZMX (Moeda: MZN) IBAN MZ59 004300000001797980085 |Swift: UNICMZMX (Moeda: USD)
Mais informações: http://www.fflc.org.mz/


FARO

Na sequência da situação que ocorreu em Moçambique, o Município de Faro está a promover/apoiar essencialmente duas iniciativas:

1.  O concerto de Dino D’Santiago, que terá lugar no Teatro das Figuras no dia 20 de abril, sábado pelas 21h30, será um espetáculo solidário a favor das vítimas do ciclone Idai, em Moçambique. Como forma de se associar ao movimento solidário, a receita do concerto do popular artista reverterá, na sua totalidade, para a ajuda humanitária às populações afetadas, em articulação com a Cruz vermelha Portuguesa e as entidades oficiais que superintendem o esforço humanitário desempenhado pelo nosso País;

2. A solicitação da comunidade moçambicana residente e novamente em articulação com a Embaixada de Moçambique, montámos um dispositivo de auxílio às vítimas do ciclone Idai, respondendo afirmativamente ao clamor que nos foi dirigido por Dionísio Muchine e por diversos representantes da comunidade moçambicana residente. Foram recolhidas até ao momento 3,5 toneladas de alimentos não perecíveis, produtos de higiene pessoal e roupas no quartel dos nossos bombeiros sapadores. Em articulação com a Cruz Vermelha, os bens serão entregues em Lisboa nas instalações da Cruz Vermelha no próximo dia 9 de abril.
 

OEIRAS

A passagem do Ciclone Idai por Moçambique teve consequências dramáticas para as pessoas e para o território, às quais que ninguém pode ficar indiferente. Naturalmente que, quando as imagens nos chegam, os sentimentos humanos mais nobres vêm ao de cima, impelindo o desejo de ajudar. Como sempre acontece nestas circunstâncias, os oeirenses têm procurado o Município, para saber de que forma podem participar no auxílio. Estamos efetivamente perante uma tragédia de proporções ainda por calcular, a que devemos acudir de modo efetivo e eficiente, recorrendo a quem sabe e tem meios para o fazer.

O Município tem estado, desde o primeiro minuto, em contacto com as empresas e as organizações da sociedade civil do Concelho. Perante a gravidade do momento, há dois tempos essenciais. No primeiro, relativo a ajuda de emergência, deve ser praticada filantropia pragmática, fazendo chegar ajuda às populações necessitadas.

A conta aberta, pelo Município de Oeiras, para ajudar Moçambique já está pronta a receber donativos (IBAN: PT50 0036 0002 99100077623 27). A angariação de fundos vai decorrer até ao dia 30 de abril.
Os fundos angariados serão, então, enviados para a Arquidiocese da Beira, para apoiar na reconstrução local. No dia 3 de abril, foram ainda aprovadas, em Reunião de Câmara, duas propostas de apoio financeiro a Moçambique.

Uma das propostas aprovadas foi a contribuição do Município com 10.000€ (dez mil euros), que serão depositados na conta solidária acima referida.

A outra proposta aprovada em Reunião de Câmara foi a atribuição imediata de uma comparticipação financeira à Congregação das Irmãs Franciscanas Hospitaleiras da Imaculada Conceição, no valor de 10.000€ (dez mil euros), com vista à reconstrução das residências da Beira e Manica, dado que o trabalho que realizam nas áreas da saúde e ação social é crucial, sobretudo nesta fase.

Além destes apoios, recorde-se que o Município de Oeiras tem ainda a decorrer, em colaboração com a Congregação das Irmãs Franciscanas Hospitaleiras da Imaculada Conceição, uma campanha de angariação de alimentos não perecíveis, produtos de higiene, vestuário, lençóis, toalhas e desinfetantes para água, disponibilizando os seguintes pontos de recolha: Paços do Concelho; Edifício Atrium; Oficinas Municipais de Vila Fria; instalações das Uniões e Juntas de Freguesia; quartéis das corporações de bombeiros.

Em colaboração com a Apifarma, o Município vai também adquirir os medicamentos considerados urgentes para os próximos meses.

O Município vai ainda disponibilizar os meios técnicos para realização de cartografia, através da empresa Municípia E.M. SA, atualmente em Moçambique a realizar trabalhos de cadastro na Província de Nampula. O trabalho realizado pela Municípia será uma ferramenta de apoio para as autoridades da Província da Sofala e da República de Moçambique na reconstrução dos territórios afetados.

A ajuda que iremos disponibilizar procura que todo o nosso esforço de solidariedade, do Município e dos munícipes, chegue a quem dela no terreno necessita.


PALMELA




SEIXAL

Concerto dos HMB promove solidariedade com Moçambique.

O concerto de encerramento do Março Jovem com a banda portuguesa HMB, no dia 30 de março, às 22 horas, na Arena Multiusos de Paio Pires, terá um teor solidário perante a trágica situação que se vive em Moçambique, através de uma campanha de recolha de alimentos não perecíveis e medicamentos.

Lista de bens a recolher
Enlatados de atum, leite condensado, feijão, grão, salsichas, fruta;
Embalagens de grão, feijão, aveia, açúcar, sal, frutos secos e barritas de cereais;
Óleo e azeite;
Sabão, sabonete, soro fisiológico e pastilhas desinfetantes para água;
Cobertores, lençóis, e mantas polares.
(Medicamentos estão a ser solicitados às farmácias locais)
Os bens recolhidos serão encaminhados para Moçambique através das entidades oficiais nacionais, estando o município a articular esta situação com o Camões – Instituto da Cooperação e da Língua.

O Seixal, município geminado há mais de 20 anos com a província de Sofala, de que é capital a cidade da Beira, irá conceder também um apoio financeiro no valor de 12 mil euros às entidades a operar no terreno – Cruz Vermelha Portuguesa, Fundação AMI e as organizações não governamentais para o desenvolvimento Oikos e Helpo.


SETÚBAL

Setúbal, 28 de março (DICI) – A Câmara Municipal de Setúbal lidera uma campanha de ajuda humanitária a Moçambique para recolha de bens de auxílio às populações afetadas pela passagem recente de um ciclone.
 
A campanha, em curso, procura despertar a solidariedade da comunidade sadina para a doação de bens variados para suprir carências imediatas do povo moçambicano afetado pela catástrofe natural, em particular na zona da Beira, cidade com a qual Setúbal tem, desde 2016, um protocolo de colaboração.
 
Bens alimentares não perecíveis, engarrafados ou enlatados, como água, feijão, arroz, grão, massa, frutos secos, açúcar e óleo, são alguns dos produtos em recolha, assim como artigos para bebés e crianças até aos 7 anos, como farinhas lácteas e não lácteas, fraldas de pano e roupas.
 
Produtos de higiene e limpeza, como sabão, detergente e lixivia, bem como kits de abrigo, acomodação e primeiros socorros, material de proteção para técnicos de saúde e artigos escolares são também bens prioritários para a ajuda humanitária em curso para Moçambique.
 
As doações no âmbito desta campanha devem ser entregues no quartel dos Bombeiros Voluntários de Setúbal, instalado na Avenida José Mourinho, na frente ribeirinha da cidade.
 
Setúbal tem um histórico de proximidade com o povo moçambicano. Além da Beira, o município setubalense tem uma estreita relação com Quelimane, cidade com a qual dinamiza, desde o ano 2000, uma geminação que tem resultado em várias iniciativas de cooperação bilateral.
 
No âmbito da geminação, o concelho sadino já acolheu bolseiras no Instituto Politécnico de Setúbal e promoveu, através de campanha mecenática, a construção de 15 poços de água potável.
 
Uma campanha de angariação, realizada ao longo de 2018, traduziu-se no envio de Setúbal para Quelimane de uma ajuda com mais de 23 toneladas de bens, incluindo vestuário, brinquedos e material escolar e de saúde.
 
Em paralelo, está atualmente a ser construída uma escola nova, de raiz, no Bairro de Ivagalane, fruto de outra campanha solidária desenvolvida por Setúbal, que, desta vez, contou com o contributo mecenático de uma empresa de construção.
 
Para apetrechar o estabelecimento de ensino, foi desenvolvida uma outra ação de solidariedade junto da população de Setúbal, através da qual vai ser possível equipar as novas instalações com material escolar e didático.


TORRES VEDRAS

Partilhar  Partilhar no Facebook Partilhar no Twitter Partilhar no LinkedIn